1/33

O evento

O I Encontro Pós-colonial e Decolonial (I EPD) nasceu da indissociabilidade das ações desenvolvidas nos projetos de pesquisa, ensino e extensão, no âmbito do AYA - Laboratório de Estudos Pós-Coloniais e Decoloniais, do Centro de Ciências Humanas e da Educação (Faed), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), vinculado ao Departamento de História (DH) e ao Programa de Pós-Graduação em História (PPGH). Particularmente, o evento pretende contribuir para a implementação das leis federais nº 10.639/03 e nº 11.645/2008 e das Diretrizes Nacionais de Educação para as Relações Étnico-Raciais e História e Cultura Afro-Brasileira e Africana (Diretrizes de 2004) e das Diretrizes Operacionais para Implementação da História e das Culturas dos Povos Indígenas na Educação Básica em decorrência da lei nº 11645/2008 (Diretrizes 2016).

A proposta para a realização do I EPD foi construída a partir da articulação e do diálogo entre a comunidade acadêmica, nós do AYA e parceiros da UFSC e da UFFS, e membros de movimentos sociais, resultando na própria temática do evento: “Diálogos Sensíveis: produção e circulação de saberes diversos”.

Nesse sentido, temos como objetivo principal articular a produção, a transmissão e a apropriação de campos do conhecimento, em especial, das ciências sociais, humanas e políticas, que discutam temas no campo dos estudos africanos e indígenas na perspectiva da transdisciplinaridade, interculturalidade e interseccionalidade, presentes como eixos estruturantes.

Entendemos o evento articulado com uma abordagem didático-pedagógica voltado à garantia dos direitos fundamentais e à valorização da dignidade humana – condições essenciais para o enfrentamento a toda forma de preconceito e discriminação. No entanto, tal tarefa encontra desafios pontuais nos diversos espaços de produção de conhecimento, incluindo o universitário, lugar que nos situamos: o posicionamento epistemológico e político de questionamento do saber epistêmico ocidental/colonial, que resulta no epistemicídio de saberes e histórias das Áfricas e Américas, o descentramento do eurocentrismo e a valorização das teorias e epistemologias do sul que pensam com e a partir de corpos e lugares étnico-raciais/sexuais que foram subalternizados pelo processo histórico da colonialidade (GROSFFOGUEL, 2008).

Nesse sentido, o I EPD foi construído com o objetivo de promover um espaço de diálogos e trocas de saberes que evidencie também saberes outros, (re)conhecendo produções outras de conhecimento que partem das experiências dos diferentes grupos e em diferentes tempos históricos e espaços geopolíticos que evidenciam visões e formas de ser, estar, viver e ler o mundo e, portanto, expressam dinâmicas, histórias, lutas e memórias de grupos diversos contribuindo para a ampliação do conhecimento e para a dignidade humana (CASTRO-GÓMEZ, 2007; MBEMBE, 2014; MUDIMBE, 2013; QUIJANO, 2005; MIGNOLO, 2003).

A problemática que norteará as discussões nas Rodas de Trocas de Saberes, Diálogos Contemporâneos e Simpósios Temáticos é: “Como, a partir de lugares diversos e saberes plurais, construímos diálogos e projetos alternativos?”. A partir do problema central, temos os seguintes eixos de discussão: “Educação: Saberes e Interseccionalidade”, “Mundos do Trabalho e Redes de Sociabilidades”, “Territorialidades e Mobilidades”, “Narrativas históricas”, e “Performances Decoloniais”.

Por fim, na chave de construir projetos alternativos de pesquisas e ações a partir de lugares e saberes plurais, o I EPD propõe um encontro que proporcione à comunidade acadêmica e à sociedade a possibilidade de conhecer e estabelecer o contato com diferentes sujeitos, refletindo sobre temáticas diversas. Dessa forma, este evento foi pensado e construído com o intuito de empreender a circulação de saberes e suas complexidades, a partir de sentimentos e emoções despertados na troca de experiências e sensibilidades múltiplas. Se o compromisso maior da Universidade é sempre com a produção de conhecimento, capaz de romper barreiras e provocar mudanças, os objetivos propostos por este evento e os seus desdobramentos possuem ressonância na responsabilidade da universidade. Nessa perspectiva, se abre caminhos para a ampliação da cidadania contribuindo para a construção de uma sociedade mais igualitária, equânime e solidária, respeitadora das diversidades.

Participantes

Pesquisadores(as), professores(as) e estudantes de graduação, pós-graduação e da educação básica (ensino médio e educação de jovens e adultos), participantes de movimentos sociais e de coletivos africanos e indígenas.

 

Coordenação geral

Prof.ª  Drª Cláudia Mortari - vice-coordenadora do AYA - Laboratório 

Prof.ª Drª Luisa Tombini Wittmann - Coordenadora do AYA - Laboratório 

Equipe:

Adriano Denovac - PPGH/AYA/UDESC
Alessandro Huf - AYA/UDESC
André Souza Martinello - DG/UDESC
Aristides Culimua - PPGE/UDESC
Azânia M. Nogueira Romão - ALTERITAS/UFSCUFSC
Brenda K. da Costa - AYA/UDESC
Cadídja Assis Pinto - AYA/UDESC
Catarina Nascimento de Oliveira - PPGICH/UFSC/NUSSERGE
Cinthia Creatini da Rocha - PNPD/UFSC
Emílio Ranieri Migliorini - AYA/UDESC

Helena Fediuk Gohl - AYA/UDESC
Hélder Pires Amânio - PPGAS/UFSC
Isabel Idiarte - AYA/UDESC
Joana Vangelista Mongelo - UFSC
Kally Cassiani Costa Trevisan - AYA/UDESC
Katarina K. L. Gabilan - AYA/UDESC
Maria Aparecida Clemêncio - CEART/UDESC
Mariana M. Bianchini - AYA/UDESC
Marília Ribas Machado - UFSC

Raissá de Oliveira do Eirenè/UFSC 
Regiane Pereira de Melo Lima
Rodrigo Faria Pereira - PPGSS/UFSC/NUSSERGE

Rodrigo Ferreira dos Reis - PPGH/UDESC/AYA
Simeia Mello - Instituto Ella

Stéfani Dias Leite - AYA/UDESC

Patrick Freire Machado - AYA/UDESC
Tárik Assis Pinto - DESIGN GRÁFICO
Vera F. Gasparetto - PPGICH/UFSC
Vinícius Pinto Gomes - PPGH/AYA/UDESC
Walderes Cocta Priprá - UFSC
William Felipe M. Costa - AYA/UDESC
Zaira da Silva Conceição - AYA/UDESC

COMISSÃO CIENTIFICA 
Dr. Bas´Ilele Malomalo - Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB)
Dr. Bruno Felipe de Souza e Miranda - Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM)
Dr.ª Cláudia Mortari - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)

Dr. Carlos Fernandes - Universidade Estadual de Maringá (UEM)
Dr. Fábio Francisco Feltrin de Souza - Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
Drª Georgina Helena Lima Nunes - Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)
Dr. Gerson Galo Ledezma Meneses - Universidade da Integração Internacional Latino-Americana (UNILA)
Dr. Hector Rolando Guerra Hernandez - Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Dr. Hippolyte Brice Sogbossi - Universidade Federal do Sergipe (UFSE)
Dr.ª Iara Tatiana Bonin - Universidade Luterana do Brasil (ULBRA)
Drª Isabel Casimiro - Universidade Eduardo Mondlane/Moçambique (UEM)
Drª Joana Célia dos Passos - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Drª Lia Vainer Schucman - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Drª Luisa Tombini Wittmann - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Dr.ª Maria Aparecida Bergamaschi - Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Drª Maria Aparecida Clemêncio - Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC)
Dr Paulo Ricardo Müller - Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS)
Dr. Patricio Lepe-Carrión - Universidade Federal de Rondônia (UFRO/Chile)
Drª Raphaela de Toledo Desiderio - Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará - (UNIFESSPA)
Ms. Rennan de Souza Lemos - Universidade de Cambridge
Dr Valdenésio Aduci Mendes - Centro Universitário Municipal de São José (USJ)